20/07/2009

Borbulham em minha mente
palavras sem sentido
Vindas do além
ditas por ninguém

Brotam como erva daninha
e se ajeitam entrei si.
Não tenho controle sobre elas,
me perseguem desde que nasci !

Não se importam se as registrarei
ou se apenas as ouvirei
em minha alma

Elas vem chegando
Dançando nesse ritmo louco
E se apossando de mim
(e daqui a pouco não tem mais eu)

Só aparecem quando querem
e se vão sem avisar
Preciso estar alerta
Para poder-lhes capturar

São umas loucas
Cheias de capricho
São como minhas amas
e sabem bem disso!

São como um vicio
como uma terapia
são minha loucura
minha alegria

* Ana Suely Marques*
(Efeito colateral de excesso de leitura!!! Rsss)

6 comentários:

Amiga do Cafa disse...

Excesso de leitura ?
Muito bom !
Nossas vozes interiores estarão sempre presentes. O bom é saber dosá-las. Nem tudo o que falam , presta.
Beijão !

Érica disse...

Minha filha, excesso de leitura é fantástico. Me encontrei nesse poema, muito, quase sob medida. Vivo sendo corrompida por pensamentos pertubadores. Eu controlo eles porque sei que são infudados, baseados em suposições, fantasias. Mas é ruim demais.
Adoreei viu?
Beijos

J P F O X disse...

O excesso de leitura nunca faz mal. Ótima escolha de texto para nós.
Obrigado pelo comentário lá no meu blog. Obs: Aquele lance do amigo é de brincadeirinha!!!!!
Bjs
Inté...

Silvio Koerich disse...

Muito pensamento interior e como lidar com eles?

Eis a questão!

abraço

prefiro não comentar disse...

Posso e preciso dizer o quanto me li em cada palavra? É Ana elas gritam de maneira mordaz, eu escuto quase em súplica e te leio com alegria faminta de quem sabe onde se apoiar!!

'-Kelly Viana' disse...

Liindo post..
as borboletas são um encanto!