11/08/2009

Oceanos - 6ª parte

- Oi Marcelo, voce vai sair hoje?
- Ainda não programei nada...
- Então nem programa, vou passar ai, ok?
- Tah !?!

Estranhei aquele telefonema, Nina não era de ligar avisando que ia passar em casa, muito menos de me chamar pelo nome! Mas tudo bem, pensei... Vai ver é só mais um de seus surtos!
Fui tomar banho e nem lembrei de ligar para Alexia para ela não vir, alias pensei que não teria problema, afinal as duas já haviam se tornado amigas, e muitas vezes saiamos os 3, ou 4...

Eu estava saindo do banho quando ela chegou, ela ainda tinha os cabelos molhados, aqueles lindos cabelos vermelhinhos escorridos e umidos. E eu estava enrolado na toalha, uma toalha branca e felpuda, que não conseguiu esconder meu entusiasmo ao ve-la tão linda naquele vestidinho florido. Até aquele dia ainda não tinha rolado entre nós dois, mas naquelas condições acabou rolando. Nosso beijos nunca foram tão quente e senti-la junto ao meu peito nu me fez deseja-la nua também.
Foi tudo natural e espontaneo, nossos lábios não se desgrudaram por um momento se quer., nossos corpos se atrairam, se completaram e se sastifizeram.
Dançavamos no ritmo do nosso amro quando a porta do quarto se abriu.
Sim era Nina.
Ela pediu desculpas e saiu apressadamente, vi em sua face uma lagrima solitária e no impulso fui atrás dela sem nem me vestir, mas ela já estava na rua.
Qo voltar para o quarto Alexia estava em pé sem saber se se vestia ou não, olhava de um lado para o outro procurando suas peças de roupa.
-Não dá mais pra continuar com isso Marcelo! Essa presença constante da Marina... Ela tem que parar de chegar sem avisar, entrar sem bater...
- mas a Nina ligou!
- Paaaaaaaaaaaaara! Não aguento você chamado ela de Nina!
- Mas eu sempre a chamei assim.
- É você sempre fez tanta coisa... Mas dá pra parar? Por que mesmo quando ela não está, ela tá...
- Nossa calma linda - falei passando as mãos em seus cabelos.
- Nada de calma Marcelo! Eu não tô calma e...
Nisso o telefone tocou e eu no instinto fui atender no andar de baio, deixando-a falando sozinha. Alexia (e todas as mulhers do mundo! VAmos concordar?) odeia que a deixem falando sozinha
Nem tive tempo de retornar para o quarto, ela ja se vestira e descia as escadas, tentei impedi-la, pedi para voltarmos para o quarto, continuar de onde paramos, mas até eu sabia que não tinha mais clima...
Ela foi embora sem nem me dar um beijo, ponto! aora tinham 2 garotas com pit!
Lembrei de Marina, o que será que aconteceru com ela? Pensei em ligar, mas meu corpo precisava de um outro banho...

5 comentários:

R.Vinicius disse...

“- O que sei? O que saberei? Instantes são intensos, tais qual o conto, essa ânsia de amar, ser amado, sentir, viver; Camus dizia que não há amor de viver, sem desespero de viver. Acrescento ao mestre “que não há desespero, mas essa falta que se assemelha a agonia, que ludibria, que parece desespero.” Abraço.

Diego Azevedo Sodre disse...

Putz vei q furada...

Érica disse...

Esse Marcelo também viu? É meio cara de pau. kkkkkkkkkk
Existe deixar a menina que ele é apaixonado chegar enquanto a outra ta com ele? Ai ai, deve acontecer dessas coisas por ai mesmo. Eu faria ao mesmo, ia embora, mas calada. Não falaria nada, sairia muda e deixava ele falando sozinho. Minha filha, fiquei com raiva dele. kkkkkk
Beijos flor.

Poeta de um mundo caduco... disse...

Geeeeente, cheguei atrasada mas já tô adorandoooooo!!!

AI, ESTES MARCELOSSSSS... Existem aos montes por aí!!! rs.

Bjinhos.

Hod disse...

Icognitas, sã todas resolvidas na emoção de uma razão!!

Alôha!! menina

Hod,