18/07/2011

O Narrador

E depois de tudo o que aconteceu ele não disse nada, nem mesmo demonstrou o que sentia, mas ela sabia... Não precisavam de palavras, se entendiam e se completavam, só que no fundo ela queria ouvir!
Foi por isso que ela saiu de lá batendo as portas e sem olhar pra trás... Foi por isso que ela deixou os livros na mesa e as folhas espalhadas pelos quatro cantos.
E tambem foi por isso que ela prometeu a si mesma nunca mais dizer o que realmente pensava...
As coisa muitas vezes são como são e ela havia se cansado de tentar mudar tudo, de fazer com que as coisas ficassem ao seu gosto. Era hora de aceitar as coisas como são, quem sabe no fim das contas elas não seriam melhores do que era esperado...
Mas ela não sabia muito bem por onde começar, não entendia que para aceitar, não era preciso começar, era só aceitar, E pronto! O resultado não foi nada menos que uma tremenda confusão, todos os papéis jogados, todas as contas vencidas e ela perdida no meio do caos.

Ah, quanto a aprender...

Pra revolucionar não é preciso transformar tudo em caos!!!! Ainda mais quando se trata de relacionamentos e quando a intenção é acertar. Vamos deixe-me mostrar umas coisas...
Já passou da hora de vc entender de uma vez por todas que quando oamor é verdadeiro, o bom é ser feliz e mais nada!

Não me venha com essa de que o narrador não pode se intrometer na historia, eu estou cansado de apenas contar as coisas, deixe-me ajuda-la... Posso te mostrar as coisas por um outro olhar! Vamos?

..continua (talvez)

Um comentário:

Cacá - José Cláudio disse...

"O amor é um grande laço
um passo pruma armadilha
um lobo correndo em círculos
pra alimentar a matilha
comparo sua chegada
com a fuga de uma ilha..."

Continua?

Me lembrei dessa canção lendo seu belísismo conto, Aninha!

Abraç~so. paz e bem.