20/03/2010

- Momento desabafo - 2

Soltando o verbo...

"Deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida,
Preciso demais desabafar!"

Há alguns meses
O mundo estava aos meus pés...
E agora ele está, impiedoso
e inteiro
Nas minhas costas!
Td a responsabilidade
falta de liberdade
Perca de esponteniedade
Junto com essa incapacidade
de resolver meus problemas sozinha...
Eu, que nunca precisei de ninguém
Que sempre fiz e escrevi a minha história...

Simplesmente não tenho acesso às ferramentas que me ajudariam
a seguir em frente
A dar os passo necessarios para melhorar a minha vida!

Vejo tudo diante de mim
simples e limpido
Mas não é pra mim!
Fui excluida do mundo capitalisma
embora ainda viva nele,
sustente, e seja sustentada por ele
Mas estou à margem
à beira
do precipicio...
E totalmente impossibilitada de reverter as coisas.

Tudo por ter acreditado demais no homem que amava
Por ter entregado não só meu coração
minha alma,
meu corpo,
minha vida...
Mas também minhas finanças...
E agora?

Não tenho nome...
E acreditem ou não, isso é um bem muito precioso!
Hoje ganho um salario relativamente bom, com o qual poderia viver sossegadamente, com uma dose pequena de certos luxos, (como net em casa por exemplo...)
Mas TUDO precisa desse pequeno detalhe: NOME LIMPO...

E eu?
Tô na roça, tô na lama...

(E o que eu queria de verdade, era só alugar uma casinha bacana e comprar um celular novo...)
Coisas que eu POSSO PAGAR
Mas não POSSO COMPRAR...

Mas ok, ok!
Pra td dá-se um jeito...
Obrigada a mim mesma por me permitir desabafar isso, que vem me sufocando a tempos, precisava colocar pra fora e acho que aki eh um bom local, não sei se é ou não do interesse de vcs, no entando me sinto a vontade p falar disso, inclusive!

Já considero grande parte de meus "leitores/escritores como amigos!

Bjs e até mais

6 comentários:

Wilian Bincoleto Wenzel disse...

Confiar demais em algumas pessoas... Um dos erros mais ¨&%@!$ do ser humano. Você foi verdadeira... confiou, foi devidamente enganada, mas valeu a experiência.!

Com o tempo seu nome volta... ah, sim! Ele volta! ;*

Érica disse...

Menina, eu acabei de ler um livro chamado Mentes Perigosas da autora Ana Beatriz Barbosa Silva, que fala de psicopatas e meio que nos ensina a nos proteger e conta umas histórias assim, de mulheres crédulas que confiaram suas vidas e finanças a pessoas que não mereciam, pessoas frias e egocêntricas. Confesso que fiquei bem impressionada sabia? E agora vejo coincidências do tipo em vários lugares e histórias. Te cuida viu? Tem gente ruim nessa vida, mas ruin de verdade.

Beijos

Jaime Guimarães disse...

Nossa, Aninha, que coisa!

É por isso que eu sempre digo: a pior coisa que tem é criar expectativas exageradas em torno de uma pessoa. Achar que a felicidade, o amor e tudo o mais de bom que a vida pode oferecer está "atrelada" a outra pessoa é um risco. É "se anular" como indivíduo.

E nisso as pessoas ficam cegas e confiam "cegamente" (desculpe o trocadilho, mas foi adequado)no (a) parceiro(a) e acabam, mais tarde, vendo que a coisa não era bem aquele sonho todo.

Uma pena, Aninha. tem muita gente ruim, malvada mesmo nesse mundo.

Um beijo e te cuida. Veja a coisa toda pelo seguinte plano: nada é realmente negativo. Está ruim hoje, mas certamente você tirará lições deste episódio que serão bastante úteis para a sua vida.

Bj!

Michelle disse...

ah que nada, eu não quase entrando no blog, só entro, posto e saio... só...

me add ai no msn

mic_mota_1984@hotmail.com

bjao

Sylvia Araujo disse...

Tem momentos na vida em que é preciso respirar, seguir e reconstruir. Eu sei que dói, ainda estou me reerguendo de uma lambada parecida, mas a arma que temos nas mãos é nossa força e coragem para seguir. E isso eu já vi que você tem. Não desespere. Tudo vai ficar bem. Palavra de escoteira. ;)

Um beijo pra você

A Magia da Noite disse...

por vezes precisamos perceber que não conseguimos chegar a todo o lado a sós, somos um, mas somos muitos e sempre em algum momento da vida precisamos de alguém que nos estenda a mão, nesse momento somos mais completos do que julgávamos ser.